Castelo de Castelo de Vide

O Castelo de Castelo de Vide terá sido iniciado no século XIII pela mão de D. Sanches, senhor igualmente de Portalegre e de Marvão.
As décadas finais do século XIII foram de certa tensão, uma vez que D. Dinis tentou, por várias vezes, retirar a vila a seu meio-irmão. Antes de findar o século, D. Dinis conseguiu finalmente apoderar-se da vila e terá sido a partir de então que se procedeu à segunda fase de obras no castelo.
A terceira grande fase de obras aconteceu no século XVII, durante as Guerras da Restauração. Em 1641, imediatamente após a proclamação da Independência, iniciaram-se os trabalhos, que foram apressados e ampliados a partir de 1642, sob projecto de Nicolau de Langres. Em 1660, no auge deste processo de fortificação, a praça albergava uma guarnição de 600 homens e três companhias de cavalaria, o que revela a sua importância. Ela integrava dois fortes, o do castelo (a poente) e o de São Roque (a nascente), de planta estrelada e com amplos baluartes e desníveis de terrenos, interligados por uma extensa linha de muralhas que circundava a vila, já extraordinariamente expandida desde o primitivo núcleo medieval.
Desactivada de 1823, a fortaleza permanece como uma importante silhueta militar na raia, evocadora do passado guerreiro e da importância que teve nos muitos recontros entre portugueses e espanhóis ao longo da História.


Textos retirados do site www.ippar.pt