Ruínas Romanas de Tróia - Grândola

O conhecimento da existência de ruínas romanas na península de Tróia tem já vários séculos, embora uma pesquisa de carácter sistemático tenha sido apenas levada a cabo nos anos quarenta do século XIX.
A actual classificação refere-se à existência de um complexo industrial de salga de peixe, constituído por diversas fábricas com tanques de salga, de diferentes dimensões e revestidos com opus signinum. Além destas estruturas, encontram-se ainda outras construções indiciadoras de uma ocupação humana de carácter contínuo, como no caso de uma área residêncial, à qual se encontra associado um balneário, necrópoles de incineração e inumação, assim como um templo paleo-cristão. Desde 1988 que se tem promovido a revalorização deste sítio arqueológico, que tem vindo a contemplar a recuperaçao do edifício conhecido por "Palácio", como base de acolhimento do público, mostra museológica, reservas, laboratório e apoio logístico a investigadores.

Localização: Península de Tróia - Grândola


Textos retirados do site www.ippar.pt