A cozinha alentejana é muito rica e variada, cheirosa e muito atraente. O azeite, o pão, o queijo, as azeitonas, e o vinho são produtos que fazem parte de qualquer boa refeição em terras alentejanas. Poderá experimentar variadíssimos pratos, desde as sopas de tomate, de cação, de bacalhau ou de cardos. Se desejar optar por uma sopa fria, prove o gaspacho. A açorda é um ponto de referência, assim como as migas (de batata, de espargos, de pão) acompanhadas com carne de porco, entrecosto, febras fritas. O ensopado de borrego, os pratos de caça, são muito típicos da cozinha tradicional alentejana. Mas não poderíamos deixar de completar estas referências gastronómicas sem nomear a doçaria: sericá (Elvas ou Vila Viçosa), pão de rala, toucinho do céu, encharcada (Convento de Santa Clara - Évora), tiborna (Vila Viçosa), morgados, pastéis de Santa Clara, toucinho rançoso (Monforte), cavacas (Avis), pinhoadas (Alcácer do Sal, boleimas (Castelo de Vide), areias (Sines) e queijadas.

Receita

 
-650 gr. de açúcar
-18 gemas
-250 gr. de amêndoas
-250 gr. de miolo de pão de 1ª, as côdeas da base do pão
-1 chavena de doce de gila
-1 limão
-1 colher de sobremesa de canela

|Tibornas |

Dia I
Com o açúcar em ponto de pasta fazem-se 15 gemas em fios de ovos.
Reservam-se os fios de ovos.
Cortam-se as côdeas muito finas em quadradinhos com 1 cm de lado.
Introduzem-se na calda onde se fizeram os fios de ovos e deixam-se ferver um pouco para se entranharem de açúcar.
Retiram-se as côdeas de pão e colocam-se numa travessa, separando-as com um garfo.
À calda que resta, e que nesta altura já deve ter ponto de pasta largo, junta-se a amêndoa pelada e ralada e deixa-se ferver para engrossar e depois o miolo do pão esfarelado, as 3 gemas que restam e as peles das gemas com que se fizeram os fios de ovos e que ficaram no passador.
Junta-se ainda a casca de limão e a canela.
Deixa-se cozer tudo até ficar espesso. Deixa-se ficar assim até ao dia seguinte.

Dia II
Para armar as tibornas: têm-se em rodelas de papel ou hóstias (com cerca de 4 cm). Sobre cada rodela põe-se uma colher de chá de massapão, outra de chila e outra de massapão. Dispõe-se por cima alguns fios de ovos e por fim 2 ou 3 rodelas de côdeas de pão.
Coloca-se cada tiborna sobre um quadrado de papel de seda artisticamente recortado e unem-se as quatro pontas com um laço de fio de lã. O papel e a lã podem ser de qualquer cor.
 
Receita retirada de: Editorial Verbo

| Consultar receitas anteriores |

 
 

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. GO ALENTEJO 2010